sexta-feira, 3 de julho de 2015

Onde quer que estejas.


Escrevo-te porque não supero. Não suporto.

Tenho fingido sabes? Não me sobra espaço nem tempo para te dar mais. Privaste-me disso. Privaste-me de te fazer feliz, privaste-me do teu olhar que tanto me penetrava, que lia o que eu mais tinha de precioso, a minha alma.
Acho que não suporto a ideia de estares em constante fuga da minha vida, e ainda assim não saíres de mim. Chego a sentir raiva deste meu lado que ainda é tão teu e desse teu lado que ainda o sinto tão meu.
Sou louca e super consciente da minha loucura...e eu queria gritar, gritar tanto até que te fizesses presente, estivesses tu onde estivesses...pensas que já não o fiz? Quantas mágoas minhas aquele mar já não suportou...soubesses tu o tsunami que vai aqui dentro...soubesse eu o que vai em ti...
Os dias passam, e morro um pouco a cada 24h por tudo aquilo estamos a desperdiçar, por tudo aquilo que ficou por dizer e fazer. Mas quero que saibas que guardei o suficiente de ti, para que possa durar uma vida inteira.
Achavas que podias fazer de mim o que querias...e não é que podias mesmo..? E quando adormeço a achar que supero...acordo e lá estás tu em 1ºlugar nos meus pensamentos matinais.  Lindo! Ridículo de novo!

Se do teu lado não é assim...então explica-me por favor, o que é que me aconteceu Pedro?
Se acabou o que nem começou... então por favor fica ou sai de mim.


Always yours, like a diamond, V.